quarta-feira, janeiro 31, 2007

Grandes portugueses

Sou apreciador de cartoons, pois estes mostram muito mais que mil palavras, fotos ou esquemas vários. Não tenho seguido o tal programa televisivo, mas sei da inclusão no lote final destas duas figuras históricas, em que o traço do mestre nos esclarece melhor que mil posts sobre o assunto. Roubei este maravilhoso cartoon ao mestre Rui Pimentel na http://visaoonline.clix.pt/

Vamos fazer meninos

O senhor cardeal veio a terreiro, com a “bem-vinda e necessária” educação sexual, mas só se for feita na “perspectiva da castidade”. Depois da canonização do deputado Morgado como exemplo de castidade, depois do milagre que a Natália testemunhou, vamos ensinar aos jovens e especialmente os adultos, como se faz o truca-truca casto, pois sendo casto, nascerão muitos castos meninos. Agora somos todos castos, até o senhor cardeal. Eu, por exemplo, já comecei a educar-me sexualmente. Estou a estudar pelo kamasutra, com aulas teoricas e práticas.

domingo, janeiro 28, 2007

Um fim de semana galego

(Clicar na imagem para aumentar)

sábado, janeiro 27, 2007

Tuna da Linha do Sol

Actuação de 1 de Maio de 1985, na Associação Recreativa e Cultural 1º de Maio da Tocha.
(Reconhecem os elementos da tuna do Escoural?)
Da esquerda para a direita: Dulcíneo Ribeiro, Mário Caniceiro, Moacir Faneco, José Ribeiro, Manuel Ribeiro e Manuel Andrade.

Leituras (1)

… Aos poucos, a chuvia foi amainando. Ficaba unha mañana gris, chea de friaxe, e o vento mareiro de Carnota facía tremar as árbores molladas, com súpetos calafrios fugaces.

quarta-feira, janeiro 24, 2007

Comichão

O bispo de Viseu até votaria sim. Bastava que a pergunta do referendo fosse diferente e questionasse sobre a despenalização da mulher que recorre ao aborto. Nesse caso, D. Ilídio Leandro votaria «sim» «sem contradição nenhuma». Até porque, explica, ninguém o faz «por leviandade», são «vítimas da sociedade» Então senhor bispo a pergunta não é sobre a despenalização? A hipocrisia dá comichão. http://www.portugaldiario.iol.pt/noticia.php?id=765425&div_id=291 (clicar para ler a notícia).
Já que estamos todos de acordo aqui vai o link para o Jumento: http://jumento.blogspot.com/2007/01/referendo-estamos-todos-de-acordo-ou.html#links

TLEBS

Já tinha lido, em tempos, qualquer coisa semelhante a TLEBS. Ao princípio até pensei que seria uma nova série de desenhos animados, daquelas séries estúpidas e estupidificantes que passam nas TVs aos Domingos de manhã, mas afinal é mais assustador do que inicialmente imaginava. Que uns técnicos de Gramática passem atestados de ignorância aqui ao Manel, aceito-os e assumo-a. Mas fazendo um esforço em me colocar por uns segundos no lugar de um professor de Português, abençoada profissão que me coube em sorte. O Diabo quando não tinha que fazer abria o cu e apanhava moscas.

terça-feira, janeiro 23, 2007

Posições politicamente incorrectas

Passados 30 anos de democracia, qual é o cartaz que ainda vende?
"Tende sempre o espírito crítico, para vós não deve haver tabus. Dentro do respeito que mereceis vós mesmos vós deveis criticar impiedosamente tudo quanto existe. Sim. Criticar sem receio de que vos chamem demolidores. Vós sois demolidores do mal, vós sois os construtores do futuro ideal." (Emídio Guerreiro)

Culpa e castigo

De quem é a culpa? É a pergunta que salta logo à frente. Será que esta constante busca de um culpado tem a ver com a tal cultura judaico cristã? Mas falamos da culpa e não da responsabilidade. A procura da culpa partirá de um grupo ou comunidade que partilhe os mesmos valores e as mesmas regras morais. A procura da responsabilidade partirá de um pressuposto contrato prévio, real ou implícito. Agora quando os contratos não estão redigidos de acordo com os valores e regras morais comummente aceites, cada um encontrará certamente um culpado que lhe sirva à medida, ou então alterem-se os contratos. Podem muito bem culpar este blog que não é responsável pelo que vai acontecendo, mas poderá passar a ser só pela força da lei.

domingo, janeiro 21, 2007

Não porque não

Ao se assumir o não ou o contra, não se estará a fugir á responsabilidade em resolver um problema e fugir aos novos futuros problemas e desafios? Isto passa-se com a votação na despenalização do aborto, mas também com os problemas ambientais e com os tratamento final a dar a alguns resíduos. Faço a pergunta de ingénuo acerca dos testes de co-incineração que estão ser realizados, e se estes servem para medir as consequências da co-incineração porque motivo alguns, nomeadamente autarcas, em vez de exigirem rigor e o acompanhamento destes testes, recorrem aos tribunais para impedir a sua realização?

quinta-feira, janeiro 18, 2007

Adão e Eva

Os bispos portugueses (Igreja – instituição) estão ao nível dos Aytolas na condenação das mulheres de hoje que tem a necessidade de abortar, com ameaças de excomunhão, purgatório, condenação, repúdio, inferno, etc. Então para os senhores bispos, tomar a pílula do dia seguinte não é abortar? Estar a defender o “não” e opor-se á criminalização da mulher, não é estar em contradição se as mulheres continuam a abortar e desde do último referendo de 1998 já houve vários julgamentos? Irão voltar as fogueiras da Santa Inquisição, ou no futuro irão pedir desculpa quando tudo isto for já História do passado, como fizeram com Galileu? Só o voto sim no referendo à despenalização do aborto dá para os dois lados, isto é, dá para os não são pela condenação da mulher que a ele recorra, e dá para as que nunca em tempo algum, dizem elas, fariam um aborto. (Não reconheço autoridade moral a quem condena a educação sexual, o uso do preservativo, contraceptivos, enfim, tudo o limita ou pode limitar uma maternidade consciente. É cruel quem exige a manutenção da punição do aborto, numa posição farisaica.)

quarta-feira, janeiro 17, 2007

Padre Nosso

Liberdade -Liberdade, que estais no céu... Rezava o padre nosso que sabia, A pedir-te, humildemente, O pão de cada dia. Mas a tua voz omnipotente Nem me ouvia. — Liberdade, que estais na terra... E a minha voz crescia De emoção. Mas um silêncio triste sepultava A fé que ressumava Da oração. Até que um dia, corajosamente, Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado Saborear, enfim O pão da minha fome. - Liberdade que estais em mim, Santificado seja o vosso nome. Torga (Diário XII)

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Limpar a Praça ao Marquês

P'ra mentira ser segura
e atingir profundidade
tem de trazer à mistura
qualquer coisa de verdade. (António Aleixo)
A propósito de uma peça jornalística sobre Cantanhede, no jornal as Beiras de 13-01-2007, autoria de Rute Melo. http://www.asbeiras.pt/?area=regiaocentro&numero=37356&ed=13012007 (Clicar sobre o link para ler a notícia) Carregar o frete a quem nos paga, além do balde e esfregão, é necessário um inteligente doseamento nas proporções do combinar a terra com a areia. A quem interessará tal blending na limpeza da Praça do Marquês de Marialva, quando toda a campanha de Jorge Catarino foi a denegrir a Praça e a estátua equestre a executar por Alves André? Quando toda a campanha, à época, foi o questionar se tal estátua equestre seria ou não uma obra de arte, apresentar uma peça jornalística em que quem a lê deduz que a responsabilidade da ideia da obra é Jorge Catarino, não será tal insinuação grave? Depois do que Jorge Catarino disse sobre a praça e o cavalo, o que não chegou aos calcanhares do que Maomé disse sobre toucinho, o jornalista, ao ler este post, irá correr a retratar-se perante o ofendido. Estou certo disso.

quarta-feira, janeiro 10, 2007

A agência de emprego

É uma tristeza, porque é triste mesmo, a reacção dos municípios a alguma ordem que se quer pôr nas autarquias! Mandando o politicamente correcto para o sítio que agora não digo, tudo isto peca por defeito, é muito pouco, isto é, deveria ser muito mais. Reina a imoralidade no recrutamento de pessoal para as Autarquias e outras organizações subsídio– dependentes e de favores de política local. As pessoas já nem se candidatam porque sabem que se trata de uma farsa, que o lugar já tem destinatário. Há “concursos” que são para categorias que não se justificam. E depois é um quadro de pessoal com vários (muitos) técnicos superiores e vários (muitos) chefes de divisão e vários (muitos) directores de serviço. Tem faltado aos autarcas a tal dimensão humana e intelectual para o lugar, e um diferente posicionamento face ao caciquismo. São também estes eleitos que estão a dar cabo das terras e a comprometer o futuro, com rotundas de manutenção caríssima e outros elefantes brancos que agora e no futuro teremos de pagar.

segunda-feira, janeiro 08, 2007

Desmanchos

http://pitecos.blogs.sapo.pt/ (Gentilmente roubado ao Zédalmeida)

quinta-feira, janeiro 04, 2007

Estive a pensar…

Noto que na maioria das pessoas em Portugal que sejam ouvintes da rádio ou espectadores de televisão, estão confrontadas com produções estrangeiras ou de matriz formatada nomeadamente em televisão, pois em todos os países da Europa que conheço, os programas televisivos são de formato idêntico, com a sua panóplia de artifícios comerciais com objectivo de controlar as tendências de gosto nomeadamente o musical. Como, de um modo geral, não se faz a mínima ideia do que se passa e se faz por detrás do pano, assim como dos interesses comerciais que nos forçam a assumir de forma a diminuir o gosto pelo que é português, pelo afunilamento das opções do pronto a ouvir e deseducando a opção do diferente, para não falar de questões de abuso e atentado à identidade cultural (se é que ainda se pode já tal afirmar) deste País. Cada geração tem referências culturais que enraízam numa infância e se tornam universais com o amadurecimento da vida. Quais serão as actuais referências que nós estamos a mostrar às nossas crianças? Esta pergunta talvez prove que estou a ficar um velho. No pouco que posso, tento inverter as tendências do espírito anti português que se vive não só na música portuguesa, assim como na cultura portuguesa em geral. Sei que muito pouco posso fazer. Sei que é uma tarefa gigantesca e é um trabalho de gerações, pois ainda não assumimos uma posição de auto estima que herdamos na vivência colectiva de um provincianismo teimoso. Passamos o tempo a dizer mal deste país, que no estrageiro, leia-se Europa, é que é, que isto aqui é uma bosta, etc. Mas quando me desloco ao estrangeiro, mal o avião começa a levantar sinto-me a aprender, reconheço, mas passado pouco tempo sinto uma necessidade em regressar urgentemente à bosta e beber do vinho das minhas referências culturais.

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Passa ao outro e não ao mesmo

Ao repto (réptil) que recebi da Cristina respondo, pois só agora arranjei a coragem necessária. Assim, como o tenho que passar a cinco, aqui vão os cinco contemplados com a osga: Tiago , Abel , Rosalina, Rui e Toni. Eis as minhas 5 manias que aqui confesso, além de outras: - Adoro que me cocem as costas e as orelhas antes de adormecer e não só. - Gosto muito de adormecer nu, no mínimo da cintura para baixo. - Pela manhã, não acordo em pleno enquanto não tomar um duche. - O meu prato favorito é sardinhas assadas com broa e baga. - Tenho muito medo dos médicos e das análises periódicas. Apesar dos meus amigos e conhecidos médicos nunca se sabe, pois um amigo meu apanhou uma doença chamada colesterol depois de ter feito análises. Um Bom Ano para todos e boas manias.

terça-feira, janeiro 02, 2007

Cego é aquele que não quer ver

Sou contra a pena de morte. O ditador Sadam foi enforcado. O vídeo que adiciono link (http://www.bulletinboardforum.com/4760-Saddam_Hanging_Video.html), é de uma violência que não pode ser escondida e que coloca quem o mandou executar ao mesmo nível do ditador assassino. Não existe justiça debaixo deste céu e muito menos por cima dele, mas seria mais justo para a humanidade o julgamento do ditador assassino num tribunal internacional, tribunal esse que os EUA na pessoa do presidente Bush recusam em reconhecer, pois outros ditadores protegidos com Pinochet ou de estimação como Castro, não foram nem serão julgados. Os senhores Bush, Blair, Aznar e Durão, agora Barroso, ficaram muito mal na fotografia das Lajes. Tudo isto deu no que deu, pois cego é aquele que não quer ver.