quinta-feira, abril 30, 2009

Os revisores da História

(Clicar nas fotos para ampliar)
Os revisores da História andam atarefados em esconder certas facetas do passado, despindo Oliveira Salazar da sua roupagem ditatorial, mente fechada e isolacionismo a que ajudou a colocar o nosso país, problemas que herdámos e que ainda subsistem, apesar de tudo, na actualidade.
Para que o revisionismo histórico não venha a negar o inegável, deixo aqui dois belos exemplos. Se não fossem de tão triste memória histórica, seriam apresentados como anedotas.

segunda-feira, abril 27, 2009

Aspone

SABE O QUE UM "ASPONE" ??
ASPONE é uma gíria brasileira composta das letras iniciais da frase: ASsessor de POrra NEnhuma .
Aspone refere-se àquele tipo de pessoa que faz parte do quadro de funcionários de uma empresa ou repartição pública, mas na verdade não tem função alguma, por ser completamente desnecessário ou não trabalhar - está ali por ter apadrinhamento político ou familiar - significando apenas um ónus a mais na folha de pagamentos.
O ASPONE também pode ser o típico funcionário puxa saco do chefe, servindo-lhe como um Staff, que não soma nada.
Ele adora entregar os colegas, sendo um verdadeiro "X-9", "dedo-duro", pois acredita que com essa atitude terá mais status com seus superiores.
Depois desta descrição, começa a pensar quantos conheces perto de ti ? Ah pois é ….. temos às resmas, às paletes …. !!!

Gaitas

O encontro de gaitas na Pena. Uma tarde de encontros com conversas distraídas de risos fáceis, com a ajuda de um copo de cerveja a melhorar as coisas.

sexta-feira, abril 24, 2009

Campaniça

Campaniça em construção. Uma passagem pelas violas portuguesas.

quarta-feira, abril 22, 2009

segunda-feira, abril 20, 2009

quinta-feira, abril 16, 2009

Post roubado ao Jumento

E os cidadãos da Europa se opusessem aos cozinhados no Conselho Europeu e impedissem a recondução de Durão Barroso? Eu vou assinar a petição "ANYONE BUT BARROSO".

quarta-feira, abril 15, 2009

terça-feira, abril 14, 2009

O peniqueiro

O peniqueiro é uma espécie resistente apesar de amorfa e sem espinha.
O peniqueiro constipa-se só porque o chefe espirra.
Tendo sempre à mão o utensílio que lhe dá o nome, corre desalmadamente para o chefe mal este aproxime, por qualquer motivo, a mão da verguilha.
O peniqueiro é mais perfeccionista, mais pontual e mais alinhado que o chefe.
O peniqueiro faz tudo pelo chefe, e até lhe ofertaria o dito se o chefe o pedisse.
O peniqueiro é elemento de uma praga maior que os chatos, apesar de eu não saber até ao momento o que é isso, mas assim deverá ser.
O peniqueiro é enxotado pelo chefe, mas se houver mudança de chefe, o peniqueiro será o primeiro a pendurar-se no seu saco, um autêntico e exímio “ puxa saco” para desespero do chefe e sobrevivência do peniqueiro.
O peniqueiro vive e come directa ou indirectamente gamela orçamental, existindo peniqueiros por todo lado mais do que se possa imaginar. Uma praga!

segunda-feira, abril 13, 2009

Guitarras

(Clicar na imagem para aumentar)
Não estou aqui a tomar partido, mas a constatar que Pedro Caldeira Cabral tem suportes históricos e científicos na sua abordagem na origem da guitarra portuguesa.
Sei que o Pedro tem dado abanões a muitos quer na sua abordagem pelo toque do nosso instrumento, quer no matar das abordagens neo-românticas tardias acerca da guitarra portuguesa e em especial na chamada guitarra de Coimbra, mas é de uma edição do “Guild of American Luthiers” que retiro esta imagem para ajudar à origem do nosso cordofone.
Ainda este ano, em Köln, estive a mostrar a quem estava comigo a origem europeia da nossa guitarra, mesmo ali (http://blog-do-manel.blogspot.com/search?q=tocador) , na porta secundária da esquerda da Catedral.

sábado, abril 11, 2009

Páginas rasgadas

(Clicar sobre a foto para ampliar)

quarta-feira, abril 08, 2009

O Papa incógnito no Douro

Pouca gente saberá que o Papa tem uma casa de campo no Douro (Resende) e se veste de D. Maria para disfarçar. Lá se vai o "segredo"...

segunda-feira, abril 06, 2009

sábado, abril 04, 2009

Gazeta dos Sarilhos

(Clicar sobre as imagens para aumentar)
Ainda não existia a TV Rural de Curral de Moinas, já a aldeia perdida entre pinhais no fim do mundo tinha a sua edição local de jornais. Antes do aparecimento do jornal Gazeta dos Sarilhos que chegou a ter 6 edições, existiu um primeiro jornal, o Diário dos Sarilhos que só se editou no ano 2001
Só duas pessoas estavam dentro do assunto. Uma sabia e a outra dizia. Toda a Gente sabia e Ninguém dizia.
As notícias eram sempre do maior interesse local onde às vezes crítica social não era bem aceite, mal que muitos sofrem mesmo não sendo do Escoural, levavam a que qualquer edição da Gazeta dos Sarilhos fosse tema central das conversas da aldeia.
O nome Gazeta dos Sarilhos vem do nome da rua principal da aldeia. Aqui é a rua dos Poços de Sarilho.
Na sua última edição, temos a notícia da Gazeta em Tribunal e uma crónica onde o homenageado é o meu amigo Isidro ( http://aminhamesada.blogspot.com/ ) , pois ao tempo era usual a distribuição pelos restaurantes da aldeia do jornal Auri Negra.
Faço notar que os nomes usados são alcunhas e outras subtis indicações para que os moradores da terra reconheçam os visados.

quinta-feira, abril 02, 2009

quarta-feira, abril 01, 2009

Vou lavar o automóvel

Agora, sem lama ou pó na minha rua, posso lavar o meu automóvel. Apesar de ser o 1º de Abril, esta é a verdade! Até tenho uma mini rampa de acesso à entrada da minha propriedade. Até as minhas glicínias estão mais bonitas!

Post roubado ao Amigo dos palheiros

Roubado ao Jorge http://setepartidas.blogs.sapo.pt/
"Outro óleo sobre tela dos palheiros da Tocha pintado por mim. Este postal é especialmente dedicado aos amigos Manuel Ribeiro, do vizinho e bonito Escoural, e António Castelo-Branco, natural dos Covões e grande conhecedor da Tocha. A oportunidade advém da última reunião da Confraria da Gândara, a qual, segundo a “memorabilia”, integrou ainda o encontro dos Amigos dos Palheiros. Nesta reunião não pude confraternizar devidamente com quem sempre distinguiu-me com a amizade; pesava-me, entre outras coisas, o afã em informar os presentes, no meu posto, das faianças que eu estava a expor. Não deixou por isso de ser um dia agradável, surpreendido também ao ser chamado para o juramento da Confraria, a par do Ti Albino e Manuel Almeida."