segunda-feira, dezembro 31, 2007

Desenho e pintura

A todos os Amigos, desejo Bom Ano 2008.

domingo, dezembro 30, 2007

Dias Alvarinho, em Reguengo de Melgaço

2º Dia Alvarinho (Clicar sobre foto para aumentar)
1º Dia Alvarinho http://www.hoteldoreguengo.pt/

terça-feira, dezembro 25, 2007

Caminhos

(Clicar sobre a foto para aumentar) Só se lembra dos caminhos velhos quem tem saudade da terra.
Natal no Escoural.

quarta-feira, dezembro 19, 2007

terça-feira, dezembro 18, 2007

“Aldeia Velha” em Paris

O grupo de fados “Aldeia Velha”, secção da associação”Clube Domus Nostra” de Portomar, actuando no último fim de semana em Lagny-sur-Marne, cidade geminada com a vila de Mira. http://www.lagny-sur-marne.fr/actudossier.asp?appel=evenement

quinta-feira, dezembro 13, 2007

Nabice

Pleonasmo natalício

É um cartão de boas festas diferente.
Há mais de 12 anos que tem existido uma relação de parceria franca e aberta.
As empresas reflectem o rosto de quem as dirige e representa, pois como se usa dizer, “pelo andar da carruagem se vê quem lá vai dentro”. Por aqui, também, se mostra uma postura culta da empresa, isto é, uma cultura de empresa culta, o pleonasmo necessário.

Descubra as diferenças

Caro Manel, No teu blog, no post ”o badalo do padre” não o comentei, não falta de vontade de dizer o que penso, mas por algumas incertezas naquilo que me parece (também não sou paroquiano nem natural da freguesia). Essa torre tinha 3 sinos de timbres inigualáveis, que noutros tempos através de um engenhoso mecanismo, badalavam as horas do velhinho relógio de torre! Dois desses sinos eram gémeos! O do lado Sul, e o do lado Nascente! Há uns anos, o do lado sul foi substituído por uma campainha de portão de quintal. (O do lado poente também me parece ter sido?????... acho-o muito mais pequeno e com aspecto novo) Já algum tempo perguntei a uma personalidade local, o que tinha acontecido ao sino do lado Sul, e ele respondeu-me "estava partido e a reparação ficava muito cara!" ...? Não estarão eles a morar noutras latitudes? Penso que deve haver alguém a saber de toda a história mas em segredo!
(Recebido por e-mail)

Morreu de pé

Morreu mesmo de pé! Não foi de morte natural ou de ataque de moto serra. Morreu de "sptupidit autarticose", moléstia que tem atacado no concelho de Cantanhede. Os investigadores do Biocant ainda não conseguiram desmonstrar a existência de tal virose, pois segundo o jornal "Boa Nova" esta árvore do largo da Tocha não morreu, antes pelo contrário, vive no paraíso foral.

quarta-feira, dezembro 12, 2007

Engenheiros (4)

(Clicar sobre a foto para a aumentar)

Cerca de 70% de todos os licenciados em Engenharia Civil que em Fevereiro deste ano fizeram exame de admissão à Ordem dos Engenheiros (OE), chumbaram. Alguns nem sabiam dizer quantos litros de água cabem num metro cúbico. Aqui vai uma ajuda aos vossos conhecimentos para o exame de admissão à Ordem dos Engenheiros.

http://dn.sapo.pt/2007/12/10/sociedade/70_engenheiros_civis_chumbam_ordem.html

Subir a torre de Pisa cansa

Subir a torre de Pisa é cansativo, pois o esforço a despender terá que ser sempre algum. Os alunos portugueses de 15 anos estão abaixo da média da OCDE, sendo isso preocupante. Como a nossa sociedade é totalmente dependente da ciência e da tecnologia, a nossa sobrevivência passa, obrigatoriamente, pela sua compreensão.

sexta-feira, dezembro 07, 2007

Rotundas e semáforos

video

A rotunda do largo da Vila da Tocha não é bem uma rotunda, mas sim uma pré rotunda ou pós rotunda, dependendo do olhar do automobilista caso atravesse o largo na direcção Este-oeste. Caso o automobilista se desloque na direcção Norte-sul, o problema rotunda já não existe, ficando o automobilista só com o problema semáforos. Na Índia, uma potência económica, os problemas com rotundas e semáforos já foram ultrapassados. A vila da Tocha está em vias, também, de resolver esse problema. A rotunda já foi deslocada para um dos lados, faltando só finalizar a deslocação dos semáforos para o outro lado do largo, conforme plano de pormenor do arranjo do largo, por todos elogiado, e que qualquer cego pode ver.

segunda-feira, dezembro 03, 2007

O plebiscito do populista Chávez

Chávez, ao referendar a constituição da Venezuela, estava a tentar dar um “golpe de Estado constitucional”, se é que assim posso classificar a acção que ele lançou. O desfecho eleitoral do referendo até parece que teve um início numa tal pergunta “porque no te callas”, que Chávez tentou colar à relação entre um antigo colonizador e um índio ex-colonizado. Chávez é um populista que, como os outros populistas, apascenta a vaca da demagogia no prado da ignorância. Neste caso venezuelano tem como limites da pastagem o preço do barril do petróleo.