terça-feira, junho 27, 2017

As tecnologias têm uma importância extrema na vida da nossa espécie.


Na evolução social do bípede de polegar oponente, que somos nós, poderíamos classificar as etapas passadas em função das tecnologias utilizadas.
As tecnologias têm uma importância extrema na vida da nossa espécie. 

O polegar oponente




Desde que a evolução nos trouxe um dos dedos livre praticamente na frente dos outros da mesma mão, tudo melhorou e tudo se passou a ter na ponta dos dedos, a zona mais afastada em termos de ligação nervosas ao cérebro, e assim começámos, alguns, a ter tempo disponível para teorizar sobre a nossa existência.

ideias movediças


Quando entramos em terreno movediço qualquer movimento mais abrupto pode-nos levar a ficar mais atascados, pelo que ultrapassar esse obstáculo se torna ainda mais difícil.
À nossa volta há o ruído constante que polui a informação que chega até nós, baralhando-nos nas decisões e ocultando-nos os caminhos a escolher nestes momentos de mudança supersónica da qual é notória a dificuldade geral das pessoas em a entender.
Há turbilhão de ideias nas nossas mundividências.

Tal qual a perda de contacto visual do chão que pisamos nos pode levar ao desequilíbrio, a busca dos referenciais humanistas universais é o chão que nos segura.

sexta-feira, junho 23, 2017

S. João da Praia da Tocha.



S. João da Praia da Tocha.
O jazo deste ano é dos bons. É de bons toques e tem modas daquelas que a gente gosta, cantigas que até se podem ouvir no rádio, e vão a tocar até ao banho santo. Já estou a ver como vai ser a festa no largo onde rodeiam os automóveis. Um pavilhão enfeitado à volta de um pau alto espetado no chão, com flores de papel de cores variadas, garridas, das mais lindas e vistosas, atadas com o fio de atar chouriças aos cordéis que vêm do cimo do tronco central aos paus que estão em redor, à volta do mastro. O mastro terá que levar no cimo duas ripas em cruz, enfeitadas, onde serão dependurados dois candeeiros a petróleo novos, a estriar. Do lado do Norte vai ficar o coreto do jazo. Se o fizerem com no ano passado, o chão será em tabuado de costaneiros da serração nova do Carvalho, e com uma escada ainda mais bem-feita que a do palheiro do Gomes Rico para que os músicos por ela subam ao palanque. Tudo enfeitado com flores de papel e das outras, que eles merecem. De fatos claros, lindos e bem passados, com uma tira vermelha no bolso do peito e ao longo das costuras das calças, logo aquele cantor que é um homem bem feito, todo penteado e de dentes brancos, quando o saxofone pára de explicar a cantiga, ele na frente do coreto e cantará de viva voz aquela cantiga com palavras lindas de morrer que só ele sabe dizer.

quinta-feira, junho 22, 2017

Os novos púlpitos

                                                                                                                                                                Há demasiadas pessoas que têm certeza de que o que lêem, ouvem e vêem é o suficiente, e corresponde à realidade. 
Imaginam que tudo pode ser compreendido sem esforço, e não admitem que podem estar a ser manipulados. Ouvem, lêem e repassam assuntos nas redes sociais sem questionar. Não vêem a pressão constante das TVs que anunciam catástrofes. As coisas boas são desprezadas e os pequenos deslizes são apresentados como enormíssimos escândalos. Para elas, as Tvs acabam por ser os novos púlpitos de onde se prega a verdade.