quinta-feira, outubro 30, 2008

Trabalhos em Clips Vídeo

video video Estes dois vídeo clips são para informação dos frequentadores da minha tasca, acerca dos meus principais hobbies.

terça-feira, outubro 28, 2008

Pela minha rica saúde

No tempo do Sr. Oliveira o vinho dava de comer a um milhão de portugueses. Na actualidade é só fazer as contas ao número de copos de vinho tinto que devo beber por semana. Ainda hoje terei que passar pela Barmácia, sem falta!

quinta-feira, outubro 23, 2008

Atelier

O atelier, onde pratico um dos meus hobbies, está uma bagunça! Quem me ajuda a colocar em prática os 5S?

quarta-feira, outubro 22, 2008

2º encontro internacional de guitarra portuguesa

Carlos Marques Ferreira, Fernando Paulo, Manuel Ribeiro e Paulo Soares na noite de Coimbra do 2º encontro internacional de guitarra portuguesa.
Muita coisa em comum por Coimbra. Da engenharia à Tuna, da guitarra ao copo.

segunda-feira, outubro 13, 2008

Eu é que sou o presidente da junta

Fazer chover no molhado

Ainda há menos de 2 anos o calcetado do arraial da Tocha era o orgulho, a Obra do Sr. presidente da Junta. Agora, talvez devido a algum achado arqueológico, talvez moedas caídas da bolsa da Dona Maria da Silveira, o arraial é um novo estaleiro eleitoral para a colocação de granito, segundo me disseram. Depois do alarido com o calcário na praça do Marquês, não acredito que o Sr. presidente da junta se borre com granito, pois até já me contaram que nem calcário seria colocado, antes sim, voltaria o tradicional chão de terra batida. Os especialistas de fazer chover no molhado lá andam a gastar o dinheiro do munícipe, e tudo à boca calada na dita impressa local. Há dias, uma equipa de TV foi proibida de filmar o arraial, pois aqui quem manda são os senhores presidentes de Junta e de Câmara, que trabalham arduamente para a reeleição.

Punheta com grelo à vista

video

http://blog-do-manel.blogspot.com/2007/02/minha-aldeia.html

http://www.independentedecantanhede.com/jornal/index.php?option=com_content&task=view&id=579&Itemid=45

http://www.edi-colibri.pt/Triliv12.html

quinta-feira, outubro 02, 2008

A dona da política

Em tempos que já lá vão, cantava o Zé de Olhão que tinha um grande olho. Até o Casimiro do Godinho que tinha um, bem no meio da testa, para não se deixar enganar. Agora, parece que somos todos uns lapardões, uns tótós! A lavagem do passado que por aí anda em práticas bem elaboradas, tem como objectivo a lavagem da memória com algum sabão para os olhos dos que teimosamente resistem ao engano, mesmo que o destino os tenha feito naturais da vila de Olhão, ou a Mãe-natureza lhes tenha colocado um olho no meio da testa. Quando os que fizeram parte do problema se apresentam agora como parte da solução praticando a lavagem do tempo de memória, trazem-me as lembranças dos tempos em que as donas da casa lavavam a roupa suja, à mão, nos ribeiros da Gândara. Nesses tempos, ainda se podia ver cuecas e combinações a corar pelas motas das valas. Agora, nem de vergonha se vê alguém a corar, combinações já não se usam e cuecas nem vê-las.