segunda-feira, janeiro 28, 2008

Post roubado

(Post roubado a um gandarês, que nos irá explicar se é roubo ou furto este copianço) Esta foto, publicada no blog.sekano.org, mostra um parque de bicicletas numa cidade belga.

domingo, janeiro 27, 2008

Gaiteiras

video

(clicar no "play" para ouvir as gaiteiras)

Astúrias, terra de encanto.

sábado, janeiro 26, 2008

Evolução

Abriram a estrada nova com bom e liso asfalto debruado com traços de tinta branca, e a aldeia foi ficando cada vez mais vazia. O padre é agora um velho que rege as vias-sacras Quaresmais e os terços de Maio para o pequeno grupo de mulheres idosas vestidas de negro que debitam a ladainha de cor. No Verão, muitos voltam e apresentam comportamentos ainda mais tradicionais do que os que ficaram, mas à boca fechada lá se vai falando do deboche da cidade vivido pelos filhos da devota aldeia. Os que pertenciam à corporação de Bombeiros, agora com um quartel novo equipado com bar e salão de festas projectado de propósito para a realização de casamentos e baptizados, lá continuam a se apresentar ao serviço e a manter a custo o equipamento operacional. O salão serviu uma só vez para a boda de um casamento que acabou em divórcio, isto logo após a inauguração do quartel pelos Presidente da Câmara e o antigo presidente da Junta. Até veio um tal ministro da Administração Interna para assistir à inauguração. O bar, esse, continua a funcionar e bem. Dantes a aldeia fervilhava de crianças e as notícias de fora chegavam pelo Sr. Prior e pelo dono do posto de telefone público, que também era e foi muitos anos o presidente da Junta. Dantes morria-se quando Deus queria e não era notícia. Hoje, depois do antigo presidente da junta ter inaugurado a abertura da estrada nova e quartel novo dos bombeiros, morre-se porque se está vivo e passou a ser notícia.

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Alterações na paisagem

(desenho de autor meu conhecido que não quer ser identificado)
Se até os burros mudam, porque não eu, também? Daqui a uns tempos, nos blogs mais duradoiros poderemos observar, recorrendo ao seu histórico, as mudanças a que cada um dos autores foi submetido. Apesar de um blog ser efémero na sua mensagem, não deixa de ser sedutor passear por eles. Na prática o que colocamos na blogosfera deixar de ser nosso. No meu caso particular, reflectirá o meu posicionamento e dos meus comentadores num momento bem definido. Ficará o registo. Em blogs duradoiros como o do Pacheco Pereira, com uma cuidada análise já se observa a mudança quer do autor, quer do leitor que tiver memória perante o rever do registado a uma cada vez maior distância temporal. A ferramenta escrita tem esse quê que a ferramenta palavra não tem! Mas isto já está mais que estudado!
Escrevo isto após uma viagem pela blogosfera, ficando aqui registo e a justificação para as minhas mudanças.
Todos os dias nos relemos e todos os dias mudamos.

quinta-feira, janeiro 24, 2008

O leite derramado

A hoje badala e anunciada falta de leite e o seu aumento de preço ao consumidor assim sem mais nem menos, tem algo por trás que me diz que alguém irá lucrar com isso (cheira-me). Nada me surpreende depois da aplicação da Política Agrícola Comum (PAC), o fenómeno das vacas loucas, passando pela estúpida cota leiteira e o novo enquadramento legal das explorações bovinas. A política Europeia para a Agricultura é demasiado regulamentada.
Em Portugal onde praticamente não existe agricultura, pois desde a reforma agrária até aos cursos de jovens agricultores esta poderia dar um filme de género ainda por classificar, pergunto se ainda existirá política agrícola. Deixo os comentários mais finos para os conhecedores da coisa.

terça-feira, janeiro 22, 2008

O Criador chama o moleiro à sua presença

O Criador chama o moleiro à sua presença:
Moleiro anda p’ró Céu
Senhor não tenho vagar
Tenho o fole na moenga
Que está por maquiar
O Criador: Então como fazes a maquia?
Vem a mulher, tira o que quer
Vem a Maria, tira a maquia,
Vem o patrão, tira o maquião,
Vem o criado, tira mais um bocado,
E ainda há-de dar p’ro vinho e p’ró tabaco
E p’ra ração do burro qu’anda fraco
Este fole (saco) deita-se p’ra’quele canto
E se o dono demorar,
Tira-se outro tanto,
E não fora contas a Deus ter que dar,
Nem o fole vazio ao freguês ia parar.
Defunto o moleiro, bate às portas do Céu:
Abre a porta ó S. Pedro
Abre a porta, deixa-me entrar
Diz-lhe o Santo, tu não entras
Sem o padre te confessar
Por isso aqui fica à espera
Enquanto um vou procurar
Volta o Santo afogueado
Dizendo preocupado,
Procurei bem procurado,
Em todo o céu e mais algum
Moleiros, ‘inda vi um,
Padres..., é que não vi nenhum

Anatomia da guitarra

(clicar sobre a imagem para ampliar)

sábado, janeiro 19, 2008

Pelo dedo se conhece o gigante

(Clicar na imagem para aumentar)
Coronha foi feita por medida, com madeira de nogueira comprada directamente à Turquia.
A obra que fala pelo Mestre Manuel Domingues, com oficina na Moita, ali na freguesia da Sanguinheira, perto da Tocha.

sexta-feira, janeiro 18, 2008

Quem copia quem

Subi ao palco para fazer som com os dois amigos do grupo, isto com a sala sem público, e encontro uma figura conhecida de algures, um pianista que fazia duo com um percussionista. Fizemos o nosso som, e chegou a vez do duo fazer trabalho idêntico.
Numa das sessões de teste de som, o dou interpreta uma pequena parte de uma peça musical que muito aprecio. Some day my prince will come de Frank Churchill, afirmei eu para o pianista. É muito bonita esta música, comentou o músico. Faço notar que o tema inicial da referida peça é idêntico ao refrão de uma música de José Cid, que se ouviu ultimamente na série “conta-me como foi” na RTP1. Frank Churchil inicia o “Some day my prince will come” da mesma linha que o “vem viver a vida amor” de José Cid, só que o desenvolve de uma forma subtil e bela após as primeiras 13 notas musicais iguais para as duas peças, sendo a versão que tenho em meu poder da interpretação do grande Miles Davis. Imaginem eu ao ouvir as primeiras notas da peça no teste de som de palco, e: então estás a tocar José Cid?
Por certo eu não teria ganho um amigo que tão bem interpretou “Some day my prince will come” de Frank Churchill.

O lençol e a nódoa

Se mesmo o amor mais casto e puro deixa nódoas nos lençóis, ...

segunda-feira, janeiro 14, 2008

Não há mal que sempre dure, ......

Bons bifes e bom trato para o meu leão, que bem precisa.

quinta-feira, janeiro 10, 2008

O erro mudou

Nasce um Deus. Outros morrem. A Verdade
Nem veio nem se foi: o Erro mudou.
Temos agora uma outra Eternidade,
E era sempre melhor o que passou.
Cega, a Ciência a inútil gleba lavra.
Louca, a fé vive o sonho do seu culto.
Um deus novo é só uma palavra.
Não procures nem creias: tudo é oculto.
Fernando Pessoa

quarta-feira, janeiro 09, 2008

A ocasião e o negócio

Para muitos o problema está na solução. Os deputados da Assembleia da República que assumam a responsabilidade de ratificação do Tratado de Lisboa, pois é para isso que eu lhes pago e os elegi para este turno. Como o nosso regime é de base parlamentar, se a Assembleia aprova e o Presidente da República concorda, porque não a ratificação do tratado por via parlamentar, pois o referendo neste caso só serviria para fazer parte do problema e não da solução? Tantos foram já os compromissos quebrados, alguns bem mais gravosos e com muito menos ruído à volta, provando que o negócio depende da ocasião. Podemos tomar partido, perante uma determinada situação em determinado momento, com infindáveis hipóteses. Eu destaco as cinco que neste momento penso como mais interessantes, a saber: - Fazer parte da solução. - Fazer parte do problema. - Fazer parte dos empatas. - Cagar e andar para as três anteriores. - Maria vai com as outras.

domingo, janeiro 06, 2008

Moral moralista

Existe um conceito quanto ao que consideramos certo e errado, embora as pessoas religiosas pensem ou afirmem que a sua moral decorre das Escrituras. Por exemplo, a escravatura cuja abolição oficial nos países civilizados foi formalizada em pleno século XX, é um dado como adquirido na Bíblia. O sufrágio das mulheres é hoje universal nas democracias e, é ao mesmo tempo recente. Em Portugal, o voto foi concedido às mulheres em 1975. Na Arábia saudita, as mulheres são vistas como propriedade, tal como nos tempos bíblicos. Actualmente, Abraão seria condenado só pelo facto de tentar o sacrifício de seu filho Isaac, e Jesus teria que responder em tribunal pelo facto de colocar todos aqueles demónios para os porcos que por ali pastavam, lançando-os no precipício sem ter qualquer consideração pelo dono dos ditos animais de vista baixa. No Portugal de 1936, o menino Artur podia andar por aí aos tiros, enquanto o menino Xavier tomava uns cálices de vinho e o homem preto não tinha nome. Mas, felizmente, há por aí um consenso misterioso que vai mudando ao longo das décadas.

quarta-feira, janeiro 02, 2008

Frango tipo leitão

Estudam todos pela mesma cartilha do sensacionalismo sensacional, só pode! É o que me apetece afirmar quando leio, ouço e vejo certos órgãos de comunicação social de âmbitos nacional, regional ou local. A SIC televisão colocou em rodapé que “os preços sobem mais que a inflação”. Com é possível os preços subirem mais que os próprios preços? Será que não é a subida dos preços o que determina a inflação? O Jornal de Cantanhede “A Boa Nova” relata de primeira página que o executivo camarário de Cantanhede aprovou o programa “prohabita”, programa de construção social, com dinheiros já definidos de valores bem escarrapachados, faltando só dizer a data das inaugurações. A realidade é que o executivo camarário só afirmou ter a intenção de pensar em elaborar uma possível candidatura ao referido programa, e a “A Boa Nova” lá fez o milagre de transformar a intenção em aprovação, dado que de intenções está o inferno cheio.
Este jornal é santo!