terça-feira, junho 30, 2015

segunda-feira, junho 29, 2015

Os Deuses do céu do Escoural

Os Deuses do céu do Escoural
Para os lados do poente do Astro Rei, Vénus aproxima-se de Júpiter, o Deus dos Deuses, enquanto o Astro Feminino em fase quase plena, se perfila a Sul.
O guerreador Marte anda longe, em lutas e labutas.

Façam atenção


Como diria o meu primo chegado de França, façam atenção!
As televisões, os jornais e o que as redes sociais repassam não é toda a verdade.

Façam a atenção em perguntarem a vós mesmos “ quem beneficia com isto?”

quinta-feira, junho 25, 2015

O Espaço Passado

Ontem, no momento da foto, estava Meia-lua, quarto crescente.
Cerca de 4 horas antes a Terra estava na região do Espaço que naquele momento se apresentava a Lua.
Nunca mais a Terra e a Lua voltarão a passar por tal sítio, o Espaço Passado.

terça-feira, junho 23, 2015

Chuvisco de S. João


 

 Chuvisco de S. João

Um céu nublado a chamar o chuvisco morrinha de S. João, esse mesmo, o que trás a moléstia do feijão.

segunda-feira, junho 22, 2015

O novo analfabetismo


Há demasiadas pessoas que têm certeza de que o que lêem, ouvem e vêem é o suficiente, e corresponde à realidade.

quarta-feira, junho 17, 2015

Qual o sentido da vida?


Qual o sentido da vida?
Viver com perguntas faz-nos muito mais humanos do que viver com respostas. O mercado das religiões apressa-se a vender-nos respostas para as perguntas que temos por mais fundamentais. São todas falsas. Nascemos cercados de respostas prontas a usar. A educação institucional, ministrada pelas religiões e pelas escolas, é um produto atraente, mas envenenado. Consegue abafar em nós as grandes perguntas com as falsas respostas que nos vende. Educar, no mercado, é igual a domesticar. Crescemos amestrados, à medida dos interesses e das necessidades do mercado. Todas as religiões, como todas as famílias e todas as escolas, estão aí para nos integrar progressivamente no mundo do mercado. São instituições domesticadoras. Estimulam-nos a crescer de acordo com as regras do mercado. Acabamos carne para canhão, pau para toda a colher, dentro do mercado e ao seu serviço. Tudo parece estar bem, porque conseguimos viver sem sobressaltos. Porventura, até com algum sucesso. Um viver com sentido dentro do mercado. Sem sentido dentro do Humano-Consciência. Há um abismo intransponível entre o Humano-Consciência e o mercado. Não é politicamente correcto dizer isto, eu sei. O politicamente correcto desconhece a Política praticada, como desconhece o Humano-Consciência como o ponto ómega do Universo. O mercado das religiões e financeiro tem o condão de matar o mistério que é a dimensão mais profunda do Humano-Consciência no Universo. Uma realidade que se dá a conhecer, à medida que cada uma, cada um de nós se desenvolve de dentro para fora, de acordo com a sua matriz original. Nascemos para rebentar com o mercado das religiões e o financeiro, não para o viabilizarmos, fortalecermos. Urge redescobrir o belo e o fecundo que é vivermos com perguntas, em lugar de com respostas, as respostas vendidas pelo mercado das religiões e o financeiro, assassino da originalidade de cada qual.


17 Junho 2015

segunda-feira, junho 15, 2015

Abençoado alívio

Devoção à N. S. do Alívio.

sexta-feira, junho 12, 2015

Mas onde é que eu já li isto?!

Mas onde é que eu já li isto?!



O pior analfabeto é o analfabeto mediático, pois ele imagina que tudo pode ser compreendido sem o mínimo esforço intelectual, e na sua forma de estar e agir carrega mais danos à comunidade que o analfabeto político. Ele prefere acreditar em “especialistas” e veículos de comunicação comprometidos com interesses de poderosos grupos políticos, económicos e financeiros.