quinta-feira, junho 02, 2011

Tenham medo, muito medo

Tenham medo, muito medo! O mundo vive em estado de terror, e o terror disfarça-se: foi um tal Saddam Hussein, ou um tal já eliminado Osama bin Laden. Agora temos o pepino, assustador profissional.• Mas o verdadeiro autor do pânico planetário chama-se Mercado. Este senhor não tem nada a ver com o afável lugar do bairro aonde se vai buscar fruta e verduras. É um terrorista todo-poderoso sem rosto, que está em toda a parte, como Deus, e julga ser, como Deus, eterno. Os seus numerosos intérpretes anunciam: "O Mercado está nervoso", e advertem: "Não se deve irritar o Mercado".• A sua exuberante ficha criminal torna-o temível. Tem passado a vida a roubar comida, a assassinar empregos, a sequestrar países e a fabricar guerras.• Para vender as suas guerras, o Mercado semeia o medo. E o medo cria clima. A televisão ocupa-se de fazer que as torres de Nova Iorque voltem a desmoronar-se todos os dias. Lembram-se do antrax? Não! Já não dá medo. Agora para este país do sol é a troika, o BCE, a dívida, e assim por aí adiante. Tenham medo. Se por acaso o medo vier a faltar a televisão do tio Balsemão de encarregará de o criar, para depois vender obesos aos pinotes, para que a maioria dos telespectadores se sintam elegantes. Tenham medo, muito medo.

1 comentário:

a. quelhas disse...

GGGGGGGGGOOOOSSTTOOO!
Sai um prozac para o pais junto ao Atlântico!!!!!!!
Bj