quinta-feira, março 27, 2008

Sem comentários

(Recebida por e-mail)
Clicar na imagem para aumentar

12 comentários:

Toni disse...

Com atitudes destas em casa, depois admiram-se que os putos se revoltem na escola e façam frente aos professores. Também corre aí pelos emails uma carta deste género, em que o enc. de educação proíbe o determinado professor de tirar o telemóvel ao aluno, justificando que, se o telefone está a tocar é porque é importante e devem ser os pais. Já não há respeito por nada, parece impossível... O estado da educação no nosso país chegou a tal ponto, que não se respeitam os professores como autoridade, não moral, mais mais importante do que isso, uma autoridade de conhecimento. Se calhar não entendem que o conhecimento é uma virtude, e já que o conhecimento não é transmitido em casa, eu espero que pazinhos e maezinhas como estes tenham um pingo de vergonha, e encarem a educação dos filhos como um investimento e não apenas porque "tem de ser".

Anónimo disse...

É por estas e por outras que vemos o que vimos nestes ultimos dias nos meios de comunicação social.
Cacr

Carlos Rebola disse...

O que está, no fundo, aqui em causa é uma questão social.
A pobreza do e no nosso país, sobre a qual, só muito poucos, normalmente silenciados (abafados), têm a coragem de a encarar, conhecê-la e divulgá-la.
Isto deveria envergonhar-nos a todos, Portugueses do Portugal da “Banda Larga” para todos...
Só uma análise sistémica à sociedade pode conhecer a génese deste e de muitos outros e tristes casos.
Penso que ainda existem pessoas que passam todo o tempo a procurar sobreviver, as outras necessidades só serão importantes quando, esta da sobrevivência, estiver satisfeita, ver a pirâmide de Maslow (http://pt.wikipedia.org/wiki/Hierarquia_de_necessidades_de_Maslow)

Um abraço Manel
Carlos Rebola

Frias Gonçalves disse...

Por acaso até está certo.Quem sai aos seus não degenera.Se repararem na caligrafia da mãe,concluem que ela no seu tempo,também não devia fazer os trabalhos de casa.Palavras para quê?É o ensino Democrático-Português já se vê.

Frias Gonçalves

noticiasd'aldeia disse...

O problema não é de hoje, como se constata. O Carlos Rebola atribui o fenómeno à pobreza social, no entanto, é a conhecida pescadinha de rabo-na-boca. É por sermos pouco instruídos que somos pobres ou, somos pobres porque somos pouco instruídos?
Abraço

M.Domingues disse...

...O lixo é sempre feito por quem o deita fora do caixote!

Ate´me faz lembrar uma anedota...

"O menino Miguel regressa da escola com o seu boletim escolar, e como sempre…
Zeros por todo lado!!!!
Qual é a desculpa que vais dar hoje??? Berra a mãe!
Bem… estou a hesitar entre hereditariedade e ambiente familiar!"

Cps.

By myself disse...

O exemplo não deve vir de cima? Pois então...aqui está um mau exemplo....vindo de cima!

Anónimo disse...

Bom, estas modas de agressão de professores não são só em Portugal. Isto são doenças globais (da mundialização) provavelmente. E da pobreza intelectual certamente.
Hoje a hierarquia de sociedade é telemóvel, carro para ir ao café a 50 metros de casa e uns futebóis ao domingo.
Eu que nunca compreendi nada, nem hoje compreendo que pais mesmo intelectualmente carecidos não compreendam que a educação começa em casa e a instrução na escola.
Que a instrução é a maior alavanca da ascensão social, a par de alguma inteligência.

Anónimo disse...

O PAI CHEGA A CASA E MANDA DOIS ESTALOS NA MULHER. O PAI NÃO SABE PORQUÊ MAS A MULHER SABE...ISTO NÃO PASSA DE UMA EXTENSÃO DO CONTINENTE AFRICANO.

M.Domingues disse...

"De pequenino se torce o pepino"

E isso é tarefa de casa para os pais!... Se tiverem jeito, tá claro!!!

Quantos pais, avós, tios... já ofereceram livros aos meninos, em vez de paneleirices de plástico?

Mais um a................ disse...

O mal é que todos nós temos consciência de que isto vai mal,mas ninguém faz nada.Somos um povo que reclama de tudo e todos mas no geral somos todos comodistas.Alguém de nós que opinamos neste blog tomou alguma atitude para mudar o que quer seja?Certamente não...Limitamo-nos a descarregar a nossa ira nas mensagens que vagueiam por estas tecnologias de informação ou em conversas de grupo.Enquanto for assim,é difícil o nosso país melhorar.........Abraço.

Datenas disse...

Manel, aqui vai o meu comentário, tal como o publiquei no http://advdatenas.blogspot.com/.
DATENAS - Copiei a imagem do blog do meu amigo Manel, á qual dei retoques. O que fica, porém são os tempos, o nosso tempo. Esta encarregada de educação é apenas um protótipo, e a linha de montagem foi criada. Digam lá meus senhores como vamos tratar dos veículos!