quarta-feira, maio 23, 2007

Viver melhor com menos

Teremos, obrigatoriamente, de aprender a viver melhor com menos, pois até agora a questão que se tem colocado tem sido ter que arranjar quem pague, já que no passado a obra de fachada foi mostrada sem que a questão sobre quem pagava fosse apresentada. Todos sabem quem pagou e quem irá pagar. Da minha parte, que paguei, pago e irei pagar, exijo um pouco de respeito pelos meus euros. Exijo luta contra o desperdício, pois ainda há quem ainda viva gerindo o meu dinheiro embandeirando em arco, alegre e festivamente, de uma forma irresponsável. Teremos que aprender a viver melhor com menos. Reconhecer o desperdício será o primeiro passo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Não é preciso arranjar quem pague obras de fachada, mesmo se para muitos só essa conta.
Agora pagar cada vez mais, será socialmente certo, com o envelhecimento da população, com os desempregados cada vez mais numerosos, com os pobres que é necessário ajudar, para fazer funcionar a economia. Porque o imbecil que diz que se lixem os pobres, é pobre de espírito, (estes fazem parte da sociedade e são pobres porque há ricos).
O que seria necessário, seria mudar mentalidades, melhorar a administração, e procurar a autonomia do país, em todos os sectores. Viver em sociedade simplesmente.
Agora o barco estacionado sem carros à volta é no largo da capela da praia? Onde hoje é parque betuminado?

Anónimo disse...

Este barco está estacionado no largo do charco com repuxos.

peido mestre disse...

Quem nunca teve dificuldades na vida e sempre viveu no meio do esbanjamento muito menos dará o devido valor à palavra "desperdíco". Aliás é puro desperdíco de tempo escutar esses Drs assim como dar-lhes tempo de antena. As pessoas são o que fazem não o que dizem. Muita faladura, pouca obra e fraca (salvo raras excepções)

Arsénio disse...

Aplausos para quem pede atenção para os três RR: Reciclar, Reutilizar e...? Alguém daí sabe completar a frase?! Fico à espera, de orelha atenta. Mas é claro que a nota foca uma situação local no seu contexto correcto. Força na porrada!