domingo, março 04, 2007

Um gandarês em Paris

No cinema gandarês mais próximo de si.

10 comentários:

AC disse...

E todo catita!

Anónimo disse...

Fatiminha said:
É pra maior de seis, 12, 16 ou 18?

Anónimo disse...

Com que então o meu caro amigo tinha um blog e não disse nada a ninguém? Então, adivinhe quem eu sou e como é que soube deste sítio? Mas, primeiro, parabéns. Gostei. Também já me ri bastante com algumas piadas! Parabéns também ao Manel_poeta. Um abraço à minha amiga Idália.
Fatiminha said

Manel disse...

Em primeiro lugar informo que não há salas de cinema na Gandara.
Mas em tempos houve cinema na Tocha. Era no "galinheiro" que servia de sala de cinema e de salão de baile. O cinema ambulante chagava à Tocha, percorria as aldeias da freguesia em altos berros, e à noite lá estava a sala cheia.
Lembro os anos 1972, 1973 e 1974 dos meus 13, 14 e 15 anos, dos cavalos aos tiros, pistolas aos coices, Hércules manteiga, fumo na sala, a fita que partia, o Bud Spencer, o Trinitá……, o Ti Azenha Borrega a afinar a viola quando a luz se começava a apagar, ….. memórias.
Dá pistas Fatiminha!

Cristina disse...

quem é este rapaz tã jeitoso????

:DD

David disse...

O que é aquela coisa bicuda atrás do Manel?
Um abraço
David

Emigrante disse...

ésta foto é uma montagem feita em computador, pois claro.

Anónimo disse...

Eu escreveria gandarês assim. Com ez só mesmo o jornal. O que é que o Idalécio dirá?
Fatiminha

Manel disse...

Sobre o gandares com ez, já em tempos falei com o Idalécio, e ele afirma que é com es, que é o mais correcto, mas que com ez não estaria errado pois seria do antigamente.
Como sempre escrevi com ez em vez es, como não está errado de todo,...
O meu pai chama-se José Luíz.

cfreitas disse...

Mais própriamente no "TROCADERO", entrada para uma das primeiras "expo" mundiais, ali no virar do século XIX para o XX. Onde por sinal Portugal teve um "piqueno" pavilhão. A última vez que vi gandarezes em Paris perguntaram-me, num arrazoado entre português macarrónico e outras linguas para mim desconhecidas, "onde se podiam apanhar barcos para andar no rio": Ficaram aliviados quando em português lhes expliquei o que deviam fazer para puderem usufruir de um pequeno passeio de "Bateau" no Sena. Ainda tive direito a uma bela sandes de chouriço das Alhadas :-) e a um copázio de branco de Silgueiros.