quinta-feira, agosto 10, 2006

A propósito da lei da paridade

14 comentários:

SALAZAR disse...

É CLARO QUE NO MEU TEMPO EU ADULTERAVA OS RESULTADOS DAS ELEIÇÕES, MAS OLHE SR. ENGENHEIRO NÃO HAVIA TANTA GATUNAGEM A MAMAR DA NOSSA TETA. HOJE É O QUE SE SABE, INFELIZMENTE. O QUE VALE É QUE A MINHA TETA É GRAAANNDE

Manel disse...

Caro Sal(azar),
Não se gabe do tamanho da sua teta, pois anda por aí muito mamão, que não burros de ano, disposto a mamar a torto e a direito.
Depois não se queixe que a mama se acaba.

Anónimo disse...

Essa de adulterar os resultados eleitorais .. fez-me lembrar uma novela (da vida real), que passou em Cantanhede, que jamais esquecerei... Eu e muitos dos protagonistas... Obviamente que por razões diferentes...

qualquer semelhança com a realidade, não é pura coincidência

SALAZAR disse...

ANTIGAMENTE JÁ SABIAMOS COM O QUE CONTAVAMOS, AGORA ATIRAM-NOS PROMESSAS E AREIA PARA OS OLHOS. MAS, OLHE, A MINHA TETA É MESMO MUITO GRANDE, PODEM CONTINUAR A MAMAR QUE EU DEIXO...

M.C. disse...

Já agora, por falar em eleições, lei da paridade, mamar... Eu também gosto disto. Já agora, acendam a luz para eu mamar um bocadinho também.

Manel disse...

A verdade é que a máquina do regime que durou (só)48 anos, entranhado na sociedade portuguesa, foi herdado por uma força política que graças ao caciquismo do poderzinho ainda se mantem a reinar em pequenos e muitos feudos,poder local e não só, onde a política tipo conde de Abranhos se mantem, onde os interesses cacicais se defendem descaramente e aqueles que que não alinham com a cacicagem para terem aquilo a que têm direito, tal como uma rua sem buracos e sem pó, pois tb pagam impostos, só têm uma hipótese que é colocar essa gente fora do poder.

Helder Gonçalves disse...

Aí está mais uma verdade digna de la Palisse, nem os soldados do chefe militar Jacques de Chabannes consegiriam melhor.
Todos temos conhecimento destes meandros, caberia a nós denunciar, reclamar, revolucionar,..., mas vivemos fechados e acomodados, reclamar dá muito trabalho e não temos tempo para isso, pode ser que alguém o faça por nós...

SALAZAR disse...

ESTAS DISCUSSÕES TÊM REVELADO O EQUÍVOCO, MAS NÃO ESCLARECIDO O PROBLEMA; JÁ NEM MESMO SE SABE O QUE HÁ-DE ENTENDER-SE POR DEMOCRACIA

Manel disse...

Caro Sal(azar),
Prefiro a angústia de ser livre a o medo de o ser.
Como o caminho se faz caminhando, não quero aceitar a cristalização do conceito de democracia, pois esta constroi-se, e também aqui na net.
Que se relevem então os equívocos, pois o assumir consciente da ignorância é que nos leva ao conhecimento.

Manel disse...

Caro Helder,
Esperar não é fazer.
Um abraço

SALAZAR disse...

Nunca me engano e raramente tenho dúvidas - o tempo encarregar-se-á de me dar razão. A paridade na política é para os pares, para os padrinhos e amigos. O meu amigo é um homem que gosta de fazer. Então, pegue os touros pelos cornos. Mas lembre-se, vai precisar de um Sal(azar) porque já não vai conseguir endireitar o que estava direito.

Manel disse...

Repito: o assumir consciente da ignorância é que nos leva ao conhecimento.

salazar disse...

É pena não ter havido um grande número de mortes no 25 de Abril... Teriam morrido muitos dos caciques que hoje estão muito bem instalados e que teriam deixado de fazer felácios ao chupão-mor (atenção que não incluo o Sr. neste rol)

Mário Caniceiro disse...

Olhe salazar, o Dr. Salazar até teve algumas (muito poucas) medidas boas e que hoje até poderiam ter alguma aplicação. Mas daí ao que aqui se lê vai um grande passo. Tome atenção porque o meu amigo parou no tempo à cerca de 30 anos, o melhor é acordar e já agora aproveite e tome um banhinho de água pouco morna...