sábado, agosto 12, 2006

O deserto dos Olhos da Fervença

Conheço bem o secular moinho e o seu proprietário e meu amigo ti José Luís, moleiro de 80 anos, dos Olhos da Fervença bem logo ali, perto da Lagoa Negra. Sempre me lembro daquela represa sempre cheia de águas cristalinas, um viveiro de pequenos peixes embalada pelo som circular do rodízio. Hoje, 12 de Agosto 2006, ao ir ao moinho em busca de farinha de milho para a broa, encontrei o moinho sem funcionar e a represa com uma pouca água suja e lodo, onde os poucos peixes procuravam escapar. Perguntei se agora este cenário era frequente e a resposta saiu afirmativa, e que era resultado da limpeza da praia fluvial dos Olhos da Fervença. Em conversa com o moleiro e esposa, estes disseram-me que na limpeza da praia fluvial a água é desviada para a vala da veia, que é um ribeiro paralelo às nascentes dos Olhos da Fervença, e depois bombeada, quando o é, da vala da veia para a vala dos moinhos, esta sim abastecida pelas nascentes, com a utilização de uma moto bomba de 2 polegadas. Como a qualidade da água da vala da veia tem muito a desejar, assim com a sujidade criada nas águas da represa chamada praia fluvial dos Olhos da Fervença, encontra-se a rápida justificação para a diminuição do peixe, associando os cortes de abastecimento ao curso de água. Para conseguir manter os poucos Clientes, o moleiro tem recorrido a moleiros vizinhos que não estão dependentes da força motriz das até agora consideradas inesgotáveis nascentes. Tem também reclamado estes cortes de água, mas só tem esbarrado em empregados da Câmara ou da Inova. Esses pormenores de quem é quem, ele diz não saber. Pergunto onde mora o respeito pelo direito de séculos para os moinhos que, cumprindo a sua função secular de reduzir o grão a farinha para alimento das respectivas populações, e lamento que saberes de 80 anos sejam emparedados na memória do esquecimento. É que na verdade, existe um deserto envolvente aos Olhos da Fervença,

5 comentários:

Cristina disse...

que giro, estavamos no blog um do outro loool..hehehe:))

beijinho, Manel

Manel disse...

Cristina, assim acontece!
Este meu post foi publicado em um jornal local "independente de Cantanhede", que é lido na Câmara Municipal de Cantanhede, penso eu.
Como sabes, tens as portas da minha tasquinha abertas de par em par.

Carrana disse...

Estive neste local a semana passada e fiquei desagradado com a falta de limpeza do lago. Na zona das nascentes está tudo cheio de "lodo" e caniços... Que má imagem se dá do local onde é captada a água para toda a população do concelho ...

Mário Caniceiro disse...

"para toda a população do concelho ... " e mais alguns concelhos à volta, creio. Tive a possibilidade de conhecer o local no "início", era simplesmente maravilhoso. Neste momento as preocupações de quem poderia fazer alguma coisa por esse local, são outras que não interessa aqui mencionar. O amigo carrana (se é amigo do meu amigo Manel é meu amigo também), o meu amigo sabe como é muito mais fácil estar sentado à secretária, num gabinete e de preferência "assessoirado" por uma menina que não cheire a bosta de vaca...

Joana Ribeiro disse...

olá Ribeiro!
sinceramente... e muito triste ver estas coisas q fizeram e fazem parte de recordaçoes da infancia de muitas pessoas que agora no seu presente chegam a este estado de degradaçao por descuido e irresponsabilidade dos superiores que nao se interessam absolutamente nada por isto nem por aqueles que dependiam e ainda dependem desta agua para manter a sua clientela e assim exercer a profissao de que tanto se orgulham...