segunda-feira, abril 23, 2018




O dinheiro digital é de uma entidade privada que gere um banco de dados, autorizada por alguém. Essa “coisa de dados” registada numa base faz a contagem por nós, pois em vez de transportar dinheiro físico, movimenta-o através de mensagens electrónicas via internet, telemóvel, etc., e o chamado nosso banco só recebe essa transacção de dados.
O dinheiro já não é dos estados, mas sim dessa entidade privada e nós não temos por onde fugir a esta teia.
Assim se criam activos, produtos financeiros e imparidades, coisas de nomes propositados de maneira a serem ininteligíveis aos comuns mortais, ludibriando-os através de uma pingadeira controlada com que o vão entretendo e manipulando.
Alguns pensam e outros poucos vivem fora do redil, enquanto a Terra gira em volta do Sol que vai arrefecendo como as estrelas no poema de António Gedeão.

Combustão perene e fria.
Corpo que a arder arrefece.
Incandescência sombria.
Tudo é foi.
Nada acontece.

Sem comentários: