domingo, setembro 12, 2010

Leituras

«Outros que não eu teriam falado de «raízes» … Não emprego esse vocabulário. Não gosto da palavra «raízes» e da imagem ainda menos. As raízes enfiam-se na terra, contorcem-se na lama, crescem nas trevas; mantêm a árvore cativa desde o seu nascimento e alimentam-na graças a uma chantagem: «Se te libertas, morres!» As árvores têm que se resignar, precisam das suas raízes; os homens não. Respiramos a luz, cobiçamos o céu e quando nos metemos na terra é para apodrecer. »

2 comentários:

A. M. disse...

As opiniões são livres, os disparates também. Pena é que haja almas santas que ainda têm pachorra para os ler.
Eu ando a reparar na quantidade de autores literários desde há muitos anos que defendem opinião contrária. Até cheguei a pensar na organização de uma recolha antológica dessas citações. São praticamente universais, de variadas épocas e países. A última que me lembro de reler era de Tolstoi, num trecho que dizia exactamente o que tantos outros vêm repetindo, algo assim: conhece a tua aldeia e nela verás o mundo...
E ainda há quem compare árvores a homens desenraizados!

Manel disse...

Amin Maalouf
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.Ir para: navegação, pesquisa

Amin MaaloufAmin Maalouf (25 de fevereiro de 1949, perto de Beirute) é um escritor libanês.

Foi chefe de redacção do Jeune Afrique e mais tarde editorialista do mesmo. Durante 12 anos foi repórter, tendo realizado missões em mais de 60 países.