terça-feira, outubro 13, 2009

Only Rock

A apresentada falta de racionalidade que vemos à nossa volta é manifestação reactiva à mudança, onde o incerto levanta o pano que cobre todos os medos. O que passa é o querer do imediato e do urgente necessário, como correcção equilibrista da distorcida e estranha pirâmide de necessidades imediatas existentes criadas e não colmatadas.
Estão a ocorrer grandes mudanças de relacionamento de poder, na posse dos meios económicos e na posse e utilização da propriedade. São novas as dependências económicas que cada vez mais cerceiam as liberdades individuais, onde a apregoada tradicional organização é teimosamente apresentada como a solução, mas que não passa de um cada vez maior amontoado sem reticulado consistente. O amontoado de tralha dessa estrutura é cada vez mais visível, apesar da negação por alguns da sua ruína.
Vivemos na era de busca nos valores da Solidariedade e esta é transversal ao espaço geográfico. No entanto, enquanto a pirâmide se distorce cada vez mais, olhamos mais para dentro do muro e ignoramos que do outro lado está um universo um pouco desconhecido, sem rumo certo e portanto cheio de medos, mas cheio de oportunidades.
Do lado de fora seremos atacados pelas incertezas, mas sobreviremos livres a cada momento. Do lado de dentro do muro julgamos viver de certezas que não existem, mas será sempre na paz da jaula.
Liberdade, Igualdade e Fraternidade necessitam do cimento da Solidariedade que tem como aglutinante o pensar global e agir local. Mas quando se pensa local, teremos como resultado de um modo geral, a inexistência de soluções duradoiras em vez do imediatismo que sentimos todos os dias.

7 comentários:

A. M. disse...

Amigo:

Felicitações pelo texto, bem escrito e sobretudo bem pensado. Oportuníssimo. Muito bom para fazer pensar as cabeças ainda capazes de pensar. Cada vez mais raras, sim, nesta voragem de vertigem. Por isso cada vez mais preciosas. Atenção, ó gentes! O amigo Manel é fixe!

Carlos Rebola disse...

Caro Manel

O amigo Arsénio Mota disse o essencial, tanto o teu texto como o comentário do amigo A. M. são muito mais que as palavras escritas.

Penso e tenho a certeza que existe muita gente a pensar como eu, que vivemos um tempo para muitos do interesse único e exclusivo do seu próprio umbigo, arredado da grande conquista do Estado Social e do humanismo da Revolução Francesa assente nestas três colunas "Liberdade, Igualdade e Fraternidade" que são a sustentação daquilo que nos diferencia dos outros animais. Continuam-se a construir muros que tenho esperança de um dia serem derrubados, por enquanto os que têm a ousadia de os transpor são maltratados, mas não desistem. Aqueles que se conformam com a paz da jaula, é porque deixaram de lutar e por isso já perderam, tudo.

Abraço
Rebola

Bruno E. Santos disse...

Sempre gostei de filmes, séries de TV, BD ou desenhos animados; passados em contextos e cenários distópicos ou pós-apocalípticos! Eram bons para fazer um indivíduo pensar e reflectir!
Mas cada vez me convenço mais, que daqui a 15 ou 20 anos, no Ocidente, alguma dessa ficção poderá virar realidade; mesmo sem um holocausto nuclear para provocar essas situações, tal como nos filmes!
Mas também posso ser um incorrigível pessimista...

http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_dystopian_films

Rui disse...

Grande Manel
Entrei hoje no teu blog pela mão amiga de outrem e não resisti dar-te aquele abraço nesta forma escrita mas igualmente muito sentido.Teu texto mais que surpreender, deslumbra.
Obrigado Manel
Teu rui crisóstomo.

o careca disse...

as pessoas do concelho andam todas malucas ou entao andam a nadar em dinheiro o pais convergiu a esquerda e as gentes do concelho pra direita.os jardins e o asfalto eleitoral significam votos.abraço aos camaradas . abraço manel

Anónimo disse...

Olá Manel
Escreves muito bem, como bem sabes.

O teu blog é uma referência, é espectacular!

Porém tenho de fazer um reparo: nas fotos que apresentas (certamente de bons momentos que invadiram a tua vida) faltam figuras femininas, porquê?

Assim, parece turtúlias...onde a mulher não entra! Não está certo!

Desculpa o desabafo...mas...sou mulher.

Anónimo disse...

TODA A ESTRUTURA CONCELHIA E A PROPAGANDA FICARAM AQUÉM DE UMA MÁQUINA EM ANDAMENTO. O POVO DO CONCELHO TB JÁ DEU PROVAS DE MUDANÇA, CONCEDENDO A VITÓRIA AO PS NOUTRAS ALTURAS.
Quero apenas lembrar que o J. Socrates teve entre 5 a 7 % de votos a mais só pela imagem. Tudo o resto é de facto mais do mesmo.