segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Enterramento de canos

A foto mostra uma fase do enterramento de canos na minha rua.
Aguardo que o eterno lamaçal da rua onde moro termine em breve.
Por isso já prometi um decilitro de azeite à N. S. da Memória e um outro à N. S. da Eleição.

5 comentários:

Carlos Rebola disse...

Caro Manel

Há mais de seis anos, que o mesmo aconteceu no Zambujal. Os canos jazem bem enterrados, mortos à espera que tenham uma função, "saneamento básico" já pagámos taxas pela existência destes "entes mortos", porque estão lá disponíveis não tarda a tarifa de disponibilidade. Hão-de ressuscitar, mas será lá para o "juízo final"? Até pode ser que essas "santinhas" façam algum milagre!...Até lá prevê-se mais lama e poeira.

Abraço
Carlos Rebola

Anónimo disse...

Welcome to the club!
Fatiminha

advheleno disse...

Tens sorte Manel. Estás na fase do enterro.
Espera pela volta, quando começar a fase do desenterro, porque a obra... foi obra, e é preciso reparar... e a INOVA precisa de dar empregos.

Sifrónio disse...

Quando chegar a altura da pagar a promessa já não há azeite. Mais vale uma vela por S. Sifrónio que faz o mesmo efeito.

Sifrónio disse...

Quando chegar a altura da pagar a promessa já não há azeite. Mais vale uma vela por S. Sifrónio que faz o mesmo efeito.