quarta-feira, junho 04, 2008

Pobretes mas alegretes

Velhos que sempre viveram da coisa, lá vão debitando as mesmas palavras paternalistas e ideias dos idos anos 60 e 70, do tipo de actor político que recusa sair de cena. Não basta a Manuel Alegre distribuir solidariedade em homilias preparadas. Ao afirmar que é preciso fazer e ele nada fez, logo não sabe e não soube fazer. É que vai faltando a coragem de sair de cena, nem empurrado pois de borla não actua nem que lhe paguem. No PSD há um regresso ao passado. Mais velhos, mais do mesmo, mais promessas de lugares para assessores. Como é que se chega ao século XXI com discursos e ideias dos idos anos 60?

11 comentários:

Carlos Rebola disse...

Isto não passa do "panis et circus"
no "circo" da política e á sua porta (entrada).
Que se salvem os sonhadores e os que ainda acreditam no sonho e na poesia (será que Agostinho da Silva teria um pouco de razão?).
Os peregrinos continuam a caminhar para norte com as cabeças em chamas. Diria ainda (talvez) Carlos de Oliveira no século XXI.
Um abraço
Carlos Rebola

Manel disse...

Carlos Rebola,
De olhos fechados consigo percorrer a minha sala.
O importante é caminhar para o norte e ter a cabeça em chamas.
Um abraço
manel

Anónimo disse...

Manuel Alegre nasceu e cresceu em Águeda. Um seu colega da Escola Primária contou-me a seguinte história:
"Naquele tempo o Manel era o única que tinha uma bola de borracha (cautchu) e ia sempre calçado.
Emprestava sempre a bola para os jogos apenas com uma condição: marcava os livres e penaltis para as 2 equipas".
O Manel continua assim. É um aristocrata de esquerda(!!) que marca bem para os 2 lados. Até na Guerra Colonial foi assim.
Nunca desempenhou nenhum cargo de jeito, nunca geriu nada.
É pena que não se dedica apenas à escrita. Nessa área sou um alegrista convicto.

Anónimo disse...

Na guerra???? Até fugiu dela pois claro. Quem tem cú tem medo. Mais um que se alimentou da política como todos os outros.

Anónimo disse...

A merda é que com tanta gente velha a não largar o tacho e a continuar a mamar e este país??? de caca ainda não bateu no fundo. Mas que grandes tetas e devem estar bem cheias....

Anónimo disse...

Eh pá, porque é que não se apresentam nas eleições.
Pois se é só tachos e mamas, isso deve ser muito bom.
Curiosa maneira de ver a administração da cidade.
Como será possível progredir com esta mentalidade vinda dos tempos do gajo de Santa Comba.
E muitos dos políticos são à imagem do povo.

Anónimo disse...

Pois é mas o DR. de SANTA COBA morreu pobre. NO entanto, agora, POETAS, ENGos C/ CANUDO OFERECIDO PELOS AMIGOS, SUPRA SUMOS QUE SE SERVIRAM DA POLITICA E QUE NADA DERAM AO PAIS, CHUPISTAS, ETC ETC. todos morrerão mas de barriga cheia bem cheia. E vêm-se prá praça publica falar de desiguldade, pobreza, como ainda à dias o Silva e o Soares. Encheram-se, recebem actualmente várias reformas. NÃO HÁ VERGONHA NEM NUNCA HOUVE. CONCORDO COM O ARTIGO DO BLOGUER. SAIAM DE CENA E RAPIDAMENTE. PORTUGAL PRECISA DE OUTRAS MENTALIDADES

Anónimo disse...

UMa coisa que já procuro há anos é alguma gravação da Rádio Argel,com intervenções do M.Alegre? e em que ele vibrava,com as "baixas"no exército colonial?Porque é que desapareceram?Quem tem medo dos seus conteúdos? A sua paixão sempre foi ser "tribuno",mas isso só o avô conseguiu e o seu conterrâneo José Estevâo.Já leram os textos coimbrãos do TOY ?
Não o cantor admirado pelas sopeiras,de espírito,deste rectângulo. Um dos seus Avós .O outro foi o Mário Duarte.(tambémm grande desportista)

SANTA COMBA disse...

FUJIU da tropa para a argélia e tornou-se locutor de rádio que defendia a morte de brancos em africa. Depoís ia para junto do seu "teanager" rabeta lá da argélia. SÃO PESSOAS ASSIM QUE TÊM DIRIGIDO PORTUGAL NOS ULTIMOS 30 ANOS

AINDA DEVIA SER PIOR disse...

O que temos é um predomínio de uma classe nefasta de políticos/gestores que sugam o tutano da coisa pública, enquanto rodam cadeiras, acumulam reformas e desdenham a meritocracia

Anónimo disse...

Quanto saudosista sem futuro! Não têm inteligência suficiente para perceber que o que almejam não volta? Impressionante! Há salazaristas que nem português sabem escrever: vejam-se os erros ortográficos. E não receiam a aldrabice: de facto M. Alegre não foi desertor. Foi anti colonialista para desgosto dos colonialistas tardios (que se calhar teriam medo da guerra, ou não?)