segunda-feira, outubro 15, 2007

Uma realidade tranquila

Os argumentos hipócritas vão sendo rebatidos pela realidade.
Era uma questão de saúde pública, além de uma questão de Ética prática, na minha opinião, o que se votou no último referendo. Três meses depois da entrada em vigor da nova lei do aborto, o Serviço Nacional de Saúde faz um balanço positivo da aplicação da lei, falando mesmo em revolução tranquila. Par ler e ouvir, clicar aqui: http://www.tsf.pt/

1 comentário:

Carla M disse...

falta falar na madeira. é que pelos vistos lá, ninguém ainda pediu para vir ao continente abortar... são umas santas, aquelas senhoras.