domingo, julho 01, 2007

Sinalética

O que se passou comigo em Viana do Castelo, ao falhar com o início da subida ao monte de Santa Luzia, prova que ainda temos um turismo de aventura. Somo a isto a praga dos vendedores de lembranças a 1 euro, que mais pareciam arrumadores de carros com receio da ressaca. Um pormenor que me despertou a atenção, e só por isso vale a pena subir ao monte, no lado exterior da igreja uma escultura em bronze apresenta-se um Cristo velho, com aspecto de 70 ou mais anos. Lá em baixo, o mamarracho Coutinho que bem merece a demolição e um centro comercial que aparenta um navio que se dirige ao mar.
A falta de sinalização nas nossas aldeias, vilas e cidades é mesmo um mal nacional.
Claro que os locais sabem como lá chegar.

1 comentário:

M.Domingues disse...

O novo provincianismo à Portuguesa é All...Garve!...

"No Coment!"

««Douro: Quatro anos após classificação nem há sinalização do Património Mundial



Quatro anos depois da classificação do Douro como Património Mundial, a região poderá receber uma advertência da UNESCO porque continuam a proliferar as lixeiras e as más construções e ainda nem sequer está delimitada com sinalização rodoviária.



A 14 de Dezembro de 2001, a UNESCO anunciou em Helsínquia a classificação do Douro Vinhateiro (ADV) como Paisagem Cultural Evolutiva Viva.

Com 25 mil hectares, inseridos na Região Demarcada do Douro, o ADV engloba 13 municípios, nomeadamente Alijó, Mesão Frio, Peso da Régua, Santa Marta de Penaguião, Vila Real, Sabrosa, Carrazeda de Ansiães, Torre de Moncorvo, Lamego, Armamar, Tabuaço, São João da Pesqueira e Vila Nova de Foz Côa.

Apesar de o Comité do Património Mundial ter poderes para retirar a classificação ao ADV, o coordenador da candidatura aprovada pela UNESCO, Bianchi de Aguiar, considera que essa questão "não se vai concretizar".



“Puxão de orelhas” da UNESCO


"Não está em causa a retirada da classificação, só tenho pena porque podemos receber uma advertência por uma questão de organização e falta de mobilização regional, principalmente em coisas tão simples como é a própria delimitação da região", afirmou.

É que, quatro anos depois, ainda nem sequer foram colocadas nas estradas de acesso à região sinalização que informe os automobilistas que estão a entrar em património classificado.

O concurso público para a sinalética deverá ocorrer dentro de dois meses e está previsto que a sua instalação no terreno ocorra antes da próxima Primavera.

Bianchi de Aguiar salientou o esforço efectuado pelas autarquias para eliminar as lixeiras e escombreiras clandestinas do ADV, nas referiu que, logo de imediato, eram depositados lixos nas bermas das estradas pelo que, na sua opinião, é necessário desenvolver um trabalho de sensibilização ambiental, principalmente junto dos mais novos»»

http://www.vidalusa.com/encontro/pages%20html/portles.htm