domingo, abril 08, 2007

Procissão

Encontro esta notícia (Clicar aqui ) e percebo a importância do negócio das religiões em permanecerem estáticas e em se afirmarem infalíveis. Eu que quando erro, aprendo, evoluo e compreendo o negócio, mesmo até quase duvidando do meu próprio cepticismo. Mas dar 6.000 euros, em leilão, só par ir na procissão como figurante de Maria Madalena é obra! Um puro exibicionismo que se torna urgente em importar para colmatar os deficits dos nossos municípios. Depois de investir em festas só cá faltava o investimento em procissões! É só uma sugestão.

3 comentários:

Agnóstico disse...

Boa, Manel! Afinfa-lhe, que só se perdem aquelas que caem ao chão!

Nuno Vilar disse...

Mantendo a malícia e o espírito aberto...

A minha avó nunca percebeu porque é que os netinhos pagavam para ir a um ginásio...

" Óh seus estrapores!!! Ide raitchar leinha ao bosso Abuô que num pagais! Ráis vos pinassem! "

Nesta altura seremos nós:
" Mas dar 6.000 euros, em leilão, só par ir na procissão como figurante de Maria Madalena é obra! "

Na minha douta ignorância digo:

" Mais vale pensar já no franshising multi-região e religião "

Manel disse...

Caro Nuno,
É essa a susgestão de franshising multi-região e religião que dou para todo o concelho de Cantanhede.
Digo todo, pois tal parceria já é realidade na Tocha em que o badalo da torre da igreja com mais músicas e ruidososos barulhos sineiros que o santuário d Fátima, foi pago pela Câmara Municipal de Cantanhede e pela Junta de Freguesia da Tocha, isto é, com o meu dinheiro.
É uma parceria de negócio garantido.