segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Referendo de 11 de Fevereiro 2007

RESULTADOS: Tocha Inscritos: 3491 Votantes: 1065 (30.51%) Em Branco: 12 (1.13%) Nulos: 7 (0.66%)
Opções
Votos Sim: 615 (58.80%) Votos Não: 431 (41.20%) Percentagem calculada sobre votos validamente expressos (brancos e nulos excluídos) .

11 comentários:

floribela disse...

"Clínica espanhola dos Arcos, que se dedica à interrupção voluntária da gravidez, abre em Março uma unidade em Lisboa." Sim porque este governo não vai ter dinheiro para subsidiar mal paridos. É mais um grande negócio a florescer. O que vale é que as palavras do ministro da saúde(que já começou a fugir com o rabo à seringa - porque não tem dinheiro) são palavras de grande optimismo. Vamos ter tudo... até uma lei "equiparada às melhores da europa". Palavras leva-as o vento. É claro que conforme aconteceu nos ultimos 30 anos, isto não passa de pura política.

Manel disse...

Claro que concordo com a floribela, quando afirma que não se tem feito nada, em especial aqueles que andaram por aí com fotos de sobre abortos, mesmo em frente das igrejas e em plenas rotundas.
Só esta perda do poder que se arvoravam possuir, no controlo do ditar referencias morais aos outros que não a eles, é que lhes está a criar uma azia corrosiva.
Teem agora uma boa oportunidade de colocar em prática aquilo que afirmaram como razão do seu apoio ao não.

floriabelha disse...

Amigo Manel
Agradeço a oportunidade de expressar a minha opinião no seu blog. A VOTAÇÃO FOI ESTA: NÃO votaram: 56,39% (4.981.015); Votaram SIM: 25,34% (2.238.053); Votaram NÃO: 17,42%; Votos BRANCOS: 0,55% (48.185); Votos NULOS: 0,30% (26.297). E a minha leitura é a seguinte: esta matéria é treta para quase 5 milhões de portugueses o que significa que existe muito trabalho a fazer. Para mim esta é a grande verdade deste referendo. 48 anos de ditadura + 30 anos de treta. Quase 5 milhões de portugueses nem são carne nem são peixe.
De resto uns virem cantar vitória e outros virem mostrar fotografias de fetos, para mim, é pura política. È preciso mais educação e mais formação para que estes 5 milhões não sejam simples paus mandados ao sabor do vento. Como diria um amigo meu: “eu gosto de mulher que diga: sim eu gosto, não não gosto”. Um abraço.

Manel disse...

"Quase 5 milhões de portugueses nem são carne nem são peixe."

De repente lembrei a célebre frase do João Pinto, quando jogador do Benfica!

Mas sei que na ditadura o número de votos que entravam nas urnas eram quase a 100%.

Manel disse...

Saber se o patamar exigido para que o referendo seja vinculativo deve ficar nos 50% e, o que se prende com este problema, limpar sistematicamente os cadernos eleitorais pois não faz sentido questionar a validade de um referendo quando a abstenção técnica se situa nos 7%.

floriabelha disse...

Na ditadura, como é sabido, havia manipulação dos resultados. O certo é que ao fim de 48 anos de ditadura + 30 anos de democracia temos 5 milhões para quem esta questão não é carne nem é peixe. 5 milhões de "NIM". É que são esses, quase 5 milhões, os que vêem prá praça "cagar postas" e quando têm oportunidade de prantar a sua opinadela não o fazem...isso é que é lamentável...permitindo que apenas um quarto dos votantes deste país? decidam.

Manel disse...

Clandestino é que era bom. Com a legalização de clínicas para o efeito, já não se irá a Espanha.
Este argumento da abstenção lembra INTESTINO LUÍS DELGADO, no seu mehor no DN de 12-02-2007: Um verdadeiro hino ao disparate ( http://dn.sapo.pt/2007/02/12/opiniao/e_agora_como_ser.html ).

Manel disse...

http://ruadajudiaria.com/?p=58


Aborto: uma perspectiva judaica

flor i abelha disse...

Este país nunca deixará de ser o que é. Um país míserável governado à 78 anos por miseráveis. A Constituição deveria ser cumprida. Não percebo o porquê do hino ao disparate. É uma leitura, é uma opinião e devemos respeitá-la. Em primeiro lugar e para bem de todos os futuros referendos, deveria ser resolvida a questão do "vinculativo". Mas, ao contrário do que se faz por cá, aí em Portugal começa-se a casa pelo telhado, é muito bom haver trapalhadas, enganos, falta de esclarecimento, chuta para aqui, pede-se ao amigo um favorzinho, etc... é o meu país adiado. E para terminar: clandestino era muito mau. Com a legalização já não se irá a Espanha, porque Espanha já se está a movimentar para ir para Portugal como é do conhecimento público

Manel disse...

Caro flor i abelha:

Não concordo com o meu amigo, quando afirma "Este país nunca deixará de ser o que é" no sentido negativo em que o afirma.
E não concordo, porque muito tem mudado, e para melhor na minha opinião, embora reconheça que em alguns sectores tal não tenha acontecido.
Tenho alguma experiencia de contactos de trabalho e negócios per essa Europa fora, em especial Alemanha, e desde já lhe digo que não somos miseráveis como afirma.
Reafirmo que não reconheço autoridade nem honestidade intelectual ao Sr. Luís Delgado. Digo a si, meu amigo, assim como o direi frontalmente ao visado. Respeito-o como respeito qualquer outra pessoa e é só.
Tudo tem evoluido, inclusive o seu Nickname nesta sequêrncia de comentários, mas a votação que houve no Domingo passado foi uma evolução no sentido da modernidade. Há um país antes de 11 de Fevereiro 2007 e outro depois de 11 de Fevereiro 2007. Disso, eu estou convicto!
Agora sinto alguma mágoa nas suas palavras. Estou ao dispor para o ajudar, na medida do possível disponha.
Um abraço
Manel

M.Domingues disse...

......dasse, olha se flor e abelha fosse Presidente da Républica!!....


À força de tanto coçar ainda vai fazer sangue...`
É com a vinda do bom tempo, que todos tiram a camisa... mas muitos ficam com a máscara!

Cps
M.D