quarta-feira, outubro 11, 2006

O Turismo e a Praia da Tocha

Sabe-se que o Turismo representa 10% do PIB. Isto indica a sua importância e também é aí que estão novas oportunidades de negócio, onde se englobam também as mais tradicionais e ancestrais actividades económicas e produtivas. Mas que turismo? A pergunta que se coloca é sobre o que se quer como turismo para a Praia da Tocha, isto é, se mais turistas ou mais receitas, sabendo nós que mais turistas dão mais receitas no imediato, mas a questão coloca-se se mais do mesmo é caminho a seguir, trazendo a banalização com a degradação associada e respectiva decadência, ou se quer um turismo mais abrangente de cadeia de valor mais longa, isto é, alargando-o às actividades locais quer comerciais quer produtivas, apostando num segmento de mercado turístico de maior capacidade de compra e de padrões de qualidade mais altos. A oferta de sol e praia, só por si, traz consigo mais automobilistas e a banalização que se já nota de ano para ano na Praia da Tocha. O negócio paralelo do arrendar casa nos meses de Verão está a definhar dadas as melhorias das acessibilidades e da mobilidade. Então o que fazer, se esgotado está o produto sol e praia, e se os produtos estratégicos que podemos ofertar para aumentar as receitas e qualidade terão que ter como componentes a gastronomia, saúde e bem-estar? O que deveria ser prioridade da autarquia que infelizmente, continua sem rumo, pois a autarquia não tem qualquer plano de desenvolvimento sustentado? O que neste momento se entende como projecto de desenvolvimento turístico centrado na Praia da Tocha deverá ter integrado as actividades económicas da Gândara, assim como novas oportunidade de actividade e negócio. Mas se só pensar a Gândara cansa, então fazer…

17 comentários:

Cristina disse...

triste não é? que país este, que desperdício..

beijinhos

canta canta meu amigo canta disse...

Vocemecês queriam era a praia só para os ricos. A praia é do povo. O sol qando nasce é pra todos. Ficam pra aí sentados a botar faladura à espera que a gente faça. O desenvolvimento é da responsabilidade de todos não é do estado. eu ká fasso a mnha parte alugando o meu apartamentozito no Verão, durmo na garage mas que se dane...

Manel disse...

Cara Cristina,
É na realidade uma pena no que deu a banalização da Praia da Tocha.
O fim dos palheiros, os genuínos, a construção a sul de umas espaçadas casas forradas a madeira, uns maus arremedos de palheiros como se os caniceiros não aproximassem as construções dos palheiros, deu numa praia vulgar, banalizadas, invadida por automobilistas dominguinhos e agostinhos, apesar de ainda não tão degradada como a maioria das praias deste país. Agora, no antigo bairro dos palheiros dos caniceiros está um largo de péssimo gosto.
Ultimamente, a Câmara Municipal de Cantanhede vendeu um espaço para a edificação de um hotel, em local a sul da levadia e em frente da duna mãe. O produto que a Praia da Tocha tem para vender continua a ser o mesmo pacote turístico: sol, vento, nevoeiro ao fim da tarde, automobilistas dominguinhos e agostinhos, …….

AVE-NOCTURNA disse...

... e quando o Lila, numa noite há alguns anos, mudou os marcos do concelho, para que o seu barracão (hoje casa de habitação) ficasse DENTRO do concelho, para que funcionasse o "usucapião" ?!... e por conseguinte, ter a casa que tem hoje!
VELHOS TEMPOS ! E AINDA NÃO HAVIAM CATARINOS INFLUENTES !

Pito Dourado disse...

...... e quando ele tirava tanta areia da praia, que o mar quase chegou à marginal para saltar a duna ? Dessa também me lembro...
Mas teve sorte. Mandaram-no para a Figueira, porque lá a areia era a rôdos...

mijarico disse...

Cá se fazem cá se pagam. Neste blogue? podemos verificar que gente fraca há em todo o mundo, arredores e no Escoural também

Jofre Alves disse...

Passei para ver esta agradável e sempre interessante página, onde me delicio nesta madrugada, e também para desejar bom fim-de-semana.

H(W)orst de Cantanhede disse...

Depois de haver "CATARINOS INFLUENTES" é que foi bom! Começaram a haver flores em todo o concelho,empregos para toda a carneirada do partido e até quintas biológicas onde se cultivam todo o tipo de hortícolas, e até, casas apalaçadas...

m disse...

Até quando é que os portugueses vão continuar a ser uma carneirada, que votam no PS, e depois quando vêm a burrice que foi essa decisão, votam a seguir no PSD, e mais uma vez vêm que estes ainda são piores e tornam a votar no PS, mas desta vez estão a votar nos mesmos que já tinham sido expulsos, mas insistem em acreditar no que dizem.
É trist ver a carneirada comportar-se desta maneira quando está em democracia, pior que estar numa ditadura, é estar numa democracia em que nos sentimos impotentes para mudar alguma coisa, valha-nos a liberdade de expressão ...

H(W)orst de Cantanhede disse...

Caro "m", estou inteiramente de acordo com o que diz. Infelizmente o povo português não tem oportunidade de votar numa alternativa, vota sim na alternância. Em 30 anos de democracia andámos sempre a apertar o cinto, com promessas de melhores dias. Não sei quando é que esses dias virão. Uma coisa é certa, o país tem ter uma solução. O melhor é que alguém começe já a pensar nisso antes que tenhamos vender Portugal ao Sr Bush para saldar as dívidas...

Manel disse...

caro Jofre Alves,
Um abraço para si e para Paredes de Coura

Dulcineia disse...

Que saudades da Praia da Tocha, não.. da genuína: Palheiros da Tocha....
De caminhar lentamente, ao compasso das ondas, numa manhã de primavera...
Da troca de palavras afáveis com o Sr. Manuel Finfas...
Do “Bom-dia” carregado de casmurrice do Sr. Manel Quitolas...
Da repetitiva pergunta ao Sr. Ramiro: “Então? a pescaria foi boa?”....
Da bica, tomada em família, no café do Finfas...
Da certeza de um encontro, sem pressas, com Alguém...
Da visão fantasmagórica do coto ensanguentado do Sr Zé Manau enquanto desmanchava a peça de carne por entre um frenético bailado de moscas...

SIM! É uma injustiça! Todos deveriam ter oportunidade de usufruir momentos como estes! Para que nos serve as instituições entulhadas de engenheiros, ambientalistas, arquitectos e outros doutores e ter “um país à beira mar plantado”???
Que nostalgia!...Bolas!.... estarei a ficar velha???

PS. E das maçãs bichosas da... NÃOOOOO!! Não eram dos Catarinos!!! Eram da S.rª Maria .. que se abuseirava(?) logo de manhã na rua principal...

Manel disse...

Dulcineia,
A praia dos palheiros da Tocha só existe na nossa memória de vida de alguém quem os viveu com as pessoas especiais que faziam parte deles, e outros como nós os recordam para contar.
A banalização destroi e afasta as pessoas especiais que dão vida aos espaços especiais, numa normalização estúpida.
Mas nem tudo é mau! Hoje está a chover.

Tiago Cação disse...

The future dont change the Past my friend....

saaboo disse...

Como nao poderei falar de nostalgia devido as poucas primaveras, espero que nao se torne Na praia de quiais onde floresciam (onde ainda prevalescem) arranha céus,(fazendo "belos jardins de betão"), com vista para o mar, entriste-se so de ver que das unicas maneiras de restroturar algo é vendendo lotes e construindo aberrações.
A politica está podre, alternativas nao existem mas sim como acima referio existêm alternancias, e quando se critica tao efusivamente partidos politicos COMO PODE A TOCHA CONTINUAR ASSIM DEPOIS DE 25 COM A MESMA POLITICA...
"Elevação de Tocha a conselho", palavras lindas nao!??! se nem sabem fazer pressão para uma diginade gandareza NACIOANL, para um rejuvenescer sustentado, para um orgulho, mas enfim......... Espero Efusivamente uma candidatura para Mira.

um aparte* Sr. Manuel ficamos algo tristes devido a sua denotada ausência na noite de fados na Associaçaõ de Moradores dos Carreiros, esperamos contar consigo noutras noites.
Cumprimentos

Euclides disse...

Meu caro amigo Manuel. Acho que a sua critica á Praia da Tocha é algo injusta. A não ser que querira fazer um condomínio fechado onde só entra quem tiver casa na praia da Tocha (e não todos claro.) É injusta porque se repararmos para os lados vemos a desgraça que se tornou a praia de Mira e por não dizer a praia de Quiaios. Já não podemos dizer o mesmo da praia da Costa nova que apesar de ter alguns planos novos e prédios continua a ser acolhedora. Ora a Praia da Tocha está a desenvolver-se em ritmo adequado com bons planos e mais importante, não fere a vista. Claro que tem sempre gente que está contra! principalmente aqueles que pensam que só por ter casa na Praia, terem aquelas memórias de infancia querem retrocer no tempo. Era bom era!!!!

Carlos Claro disse...

Pois, é... meu pai (Manoel Claro Jr. de Tocha-nasc.1911 - veio ao Brasil 1922) falava desta praia (?)
e naquele tempo meu avô (Manoel Claro) namorava minha avó, mas os pais dela proibiam o encontro dos namorados na praia não havia ninguém. Era deserta.

Contato: Antonio Carlos Claro
linscarlos2004@ig.com.br